Distribuição das doenças na População

Posted on

Sendo assim, em algumas regiões, as doenças infecciosas e parasitárias (DIPs) ainda fazem parte do cotidiano da população.

Ramo das ciências da saúde que estuda, na população, a ocorrência, a distribuição e os fatores determinantes, ou seja, os fatores de risco, dos eventos relacionados com a saúde. · Investigar os fatores que influenciam a situação de saúde: trata-se do estudo cientifico das determinantes do aparecimento e manutenção dos danos à saúde, na população. A transmissão e a manutenção de uma doença na população humana são resultantes do processo interativo entre o agente, o meio ambiente e o hospedeiro humano. Em determinados locais do Brasil a proliferação de doenças parasitarias tem como consequência o aumento da mortalidade e internação infantil, por ser a faixa etária mais suscetível a essas infecções. Saneamento básico adequado é o principal fator de prevenção da doença, visto que, evita que fezes humanas contaminem a água potável da região. Veja abaixo as principais doenças no Brasil: Doenças do aparelho circulatório Este tipo de doença faz parte do grupo que mais mata em nosso país. São doenças que se desenvolvem no corpo humano em função de componentes genéticos associados ao estilo de vida e hábitos de alimentação. Água limpa e tratada, tratamento de esgoto e condições ambientais adequadas dificultam a proliferação da doença. PARASITOSES, AINDA, UM GRANDE PROBLEMA DE SAÚDE PÚBLICA A maior parte de doenças parasitárias está relacionada com o nível social, cultural e econômico da população.

Os vírus são parasitas intracelulares obrigatórios, pois só se reproduzem no interior de uma célula hospedeira. São também agentes causadores de muitas doenças infecciosas que afetam seres humanos.

  • Associação entre populações de duas espécies em que o mais pequeno (parasita) é fisiologicamente dependente do maior (hospedeiro)

Três fatores, a clássica tríade epidemiológica das doenças parasitárias, são indispensáveis para que ocorra a infecção: as condições do hospedeiro, o parasito e o meio ambiente.

As condições ambientais associadas aos fatores anteriores irão favorecer e definir a ocorrência de infecção e doença. Dois fatores associados têm contribuído fortemente para o agravamento da situação em todo o mundo: a resistência anti-helmíntica e o manejo inadequado dos animais no sistema de produção. de; CARMO, E.H. Estudo da prevalência e fatores associados à fasciolose no Município de Canutama, Estado do Amazonas, Brasil. Poderíamos, então, definir a ecologia médica como a ciência que estuda as doenças e seus fatores relacionados ao homem, ao meio ambiente e aos seus desequilíbrios. Essa denominação ainda é pertinente porque, nos trópicos, fatores climáticos e de umidade favorecem a proliferação de insetos, os principais transmissores dessas doenças. No Brasil, mais raros ainda são os estudos associando a mortalidade por causas com fatores de natureza social e econômica (5­9). Os fatores climáticos podem ter importância na epidemiologia da babesiose, influenciando a população de carrapatos ou a transmissão do protozoário. Deve-se levar em conta que as mudanças na intensidade da população de carrapatos nos bovinos afetam a taxa de inoculação do protozoário no hospedeiro. Esse fato, associado à ausência dos fatores que fornecem resistência às babesioses, leva à alta incidência da doença clínica, a partir da primavera, nos animais nascidos no inverno.

2.1. Principais fatores meteorológicos que favorecem os agentes causadores de doenças vegetais

  • Hospedeiro definitivo
  • Aquele no qual o parasita tem a sua forma adulta ou vida reprodutiva (reprodução sexuada)
  • Hospedeiro Intermediário
  • Aquele em que o parasita vive em estado larvar (reprodução assexuada)

população aumentar o número de componentes, em condições ambientais ótimas.

Resposta:PB: força que tende a fazer uma população crescer; capacidade potencial de uma população aumentar numericamente em condições ambientais favoráveis. Algumas doenças causadas por parasitas ocorrem através de vetores, que são organismos que podem estar infectados com o parasita e que serão responsáveis por transmiti-lo ao hospedeiro final. Isso ocorre uma vez que essas condições favorecem a multiplicação dos parasitas e dos vetores e tornam o hospedeiro mais suscetível à infecção. Helmintoses são doenças que afetam o equilíbrio nutricional do hospedeiro, comprometendo a absorção de nutrientes, podendo induzir sangramento intestinal, obstrução intestinal e outros sintomas associados ao trato digestório. Em 1918, quando as condições sanitárias na maior parte do país eram precárias, era de se esperar que doenças como o amarelão e lombriga fossem bastante comuns na população. As doenças são mais prevalentes em climas temperados, em parte devido à ocorrência de uma estação fria, que controla a população de insetos, forçando hibernação. Fonte: www.news-medical.net A doença tropical tem uma correlação intrínseca não só com o ecossistema, mas também com a condição social da população. Fonte: www.imt.usp.br Essa denominação ainda é pertinente porque, nos trópicos, os fatores climáticos favorecem a proliferação de insetos, os principais transmissores dessas doenças. Em resumo, o Daly mede o tempo de vida perdido, seja com morte prematura, seja com doença debilitante, pela população global (ou regional, conforme o desejado).

  • Endoparasitas
  • Invasivos para o hospedeiro, incluem parasitas do intestino.
  • Ectoparasitas
  • Geralmente não invadem o hospedeiro: artrópodes (piolhos, moscas, carraças), anelídeos (sanguessugas)

Dessa forma, a qualquer momento podem surgir, e têm surgido no Brasil, focos de doença de Chagas em pequenas comunidades instaladas em áreas densamente povoadas por mamíferos e barbeiros infectados.

entre o meio ambiente e saúde incorpora todos os elementos e fatores que afetam Incidência e fatores ambientais que predispõem doenças população atendida pelo ESF da Vila Mauricéia o Entrevistado 3, relata: “São raros os casos de sintomas de doenças parasitárias na nossa e fatores ambientais que predispõem doenças respiratórias Ao ser questionado sobre quais doenças respiratórias são mais incidentes no enfatiza: “Os fatores ambientais que mais determinam o processo saúde doença na Fatores envolvidos na propagação de doenças: Biológicos, culturais, ambientais, econômicos. Encontrado em quase todos os países do mundo e ocorre com frequência variada em virtude das condições climáticas, ambientais e, principalmente, do grau de desenvolvimento socioeconômico da população. Transmissão A transmissão é feita quando o hospedeiro ingere ovos maduros, que por serem resistentes às condições ambientais, podem ser disseminados pelo vento ou pela água e contaminar os alimentos. O Brasil é um país onde as condições de vida da maior parte da população favorecem o estabelecimento de doenças parasitárias, muitas delas bastante graves. Em seguida, são apresentados o conceito de doenças emergentes e reemergentes, os fatores relacionados à emergência das doenças infecciosas e as principais ocorrências no Brasil. Um número muito grande de fatores estariam envolvidos na determinação da emergência e reemergência de doenças infecciosas. Fatores ambientais Grandes projetos de engenharia, como represas, rodovias, expansão da fronteira agrícola, têm sido freqüentemente associados à emergência e reemergência de doenças. Diversos fatores físicos e químicos atuam, simultaneamente determinando as condições ambientais que não são estáticas, mais dinâmicas, devido à interação dos diversos fatores. De todo modo, permite a apreensão dos significados e dos fatores determinantes da saúde-doença na população indígena potiguara e a verificação de serviços de saúde voltados para as problemáticas encontradas. No Brasil, dados demográficos têm demonstrado que a partir da década de 1970, a população de pessoas mais velhas vem aumentando lentamente. Além disso, a genética do animal também é fator determinante na resistência à doença. Esse método ajuda na detecção de outras doenças que podem causar sintomas similares, tais como linfoma, doença de Whipple, criptosporidiose, isosporíase ou doença de Crohn. Apesar da doença infectar todas as pessoas, crianças e mulheres grávidas podem ser mais susceptíveis a desidratação causada pela diarréia, portanto, deve-se administrar fluiodoterapia se necessário.